Bons hábitos alimentares: da gestação à escola

É durante a gestação que a mãe inicia o cuidado com a saúde e com o futuro do seu filho, através da sua alimentação. Um estado nutricional adequado durante a gravidez poderá garantir a qualidade de vida da criança ao longo dos anos. 

Após o nascimento, a ingestão do leite materno – alimento rico em nutrientes essenciais ao bebê – favorecerá um perfeito desenvolvimento, físico e nutricional. A partir dos seis meses de idade, começa a alimentação complementar, conjunto de todos os alimentos associados ainda ao leite materno. Com o desmame, o cuidado deve ser redobrado, pois é nessa fase que a criança começa a experimentar os sabores e a fazer suas escolhas, lembrando que as necessidades alimentares se modificam com o desenvolvimento motor, cognitivo e social. 

Nesse período, os pais devem ter muita paciência e ofertar todos os tipos de alimentos – verduras, legumes, frutas, carnes, etc., variando sempre! A persistência também se faz necessária, pois, para considerar que a criança não gosta de um determinado alimento, é preciso que este seja rejeitado por ela pelo menos dez vezes, tendo sido oferecido em variadas formas de preparo. As experiências nutricionais que ocorrem no inicio da vida podem ter consequências duradouras. Essa etapa é de suma importância, pois é quando pode, também, ocorrer a oferta de “alimentos não adequados”. É nessa hora que a rotina alimentar da família começa a influenciar a da criança. Por isso, a importância de hábitos saudáveis familiares desde sempre. O que você não gosta pode se tornar o alimento preferido do seu filho, lembre-se disso e não deixe de oferecer a ele!

A escola como aliada - A alimentação complementar deve ser equilibrada, variada e rica em nutrientes saudáveis. Esta regra se estende para muito além de casa. A escola, por exemplo, pode ser uma grande aliada na manutenção dos hábitos alimentares saudáveis, principalmente nos dias de hoje. É cada vez mais comum o consumo, além do lanche, das refeições (almoço e jantar) no ambiente escolar, em razão da opção de horário integral oferecida para atender às necessidades dos pais que trabalham o dia inteiro.

É importante estar atento à qualidade dos alimentos oferecidos aos seus filhos, o que inclui, além das condições de preparo, a elaboração do cardápio, que deve estar adequado às necessidades da criança, de forma a garantir os nutrientes e a energia que ela precisa, na fase em que se encontra. O controle de sal, gordura e açúcar deve ser feito sempre. Para isso, o apoio de um nutricionista é fundamental. Não hesite em pedir orientação sempre que achar necessário.

Outro fator que ajuda muito é a alimentação coletiva. Quando as refeições são iguais, aquele coleguinha ao lado, que “come de tudo”, funciona como estímulo, e até mesmo um desafio, para o outro experimentar diferentes alimentos. O mesmo ocorre em casa, nas refeições feitas em conjunto. Assim, quando a família e a escola mantêm a preocupação e o cuidado com a qualidade da alimentação das suas crianças, os hábitos saudáveis vão se formando naturalmente e os bons frutos desta parceria serão colhidos até a idade adulta!

Luciana Batista, nutricionista da Comer Brincando alimentação e nutrição infantil.