Tchau, Chupeta! Como ser bem sucedido na retirada da chupeta

Antes de nascerem, por volta do quinto mês de gestação, os bebês chupam os dedos. Essa é uma ação instintiva que contribui para a atividade voluntária de alimentar-se. Além disso, a sucção conforta o bebê, pois tem um efeito relaxante. Sendo assim, a chupeta é um recurso que a criança usa para satisfazer suas necessidades orais, porém em longo prazo este hábito pode trazer consequências ruins para a saúde geral da criança como alterações ortodônticas, de respiração e de fala.

De modo geral, é costume tirar a chupeta em torno de 2 anos de idade. Fazer isso pode representar uma perda para a criança, mas ela tende a sofrer menos do que os pais, que ficam morrendo de pena do filho.

A retirada da chupeta normalmente é de grande dificuldade e cria bastante ansiedade nos pais. Não existe “receita de bolo” para a retirada, mas é fato que algumas dicas sempre ajudam.

Então, escolha um bom momento para preparar a criança para o acontecimento. A criança deve saber e entender que terá de deixar de usar a chupeta e como será o processo, coloque para ela o quanto cresceu e que não precisa mais da chupeta. Não é interessante iniciar o processo de retirada da chupeta juntamente com a retirada de fralda, entrada na escola ou a chegada de um irmão.

A chupeta deve ser retirada aos poucos, assim seu uso deve ser permitido somente nos horários de dormir. Evite ter mais de uma chupeta e deixe-a fora do alcance da criança.

À noite, tente retirar, com cuidado e delicadeza, a chupeta da boca da criança depois que ela pegar no sono, mas lembre-se de combinar com a criança que você fará isso e deixará a chupeta ao lado dela no travesseiro. Além disso, você pode oferecer à criança um objeto que fique na cama com ela para que a mesma se sinta segura.

Respeite o ritmo de cada criança e evite comparações. Cuide para que o discurso da família seja coerente, é importante que todos que convivem mais tempo com a criança compartilhem da decisão tomada pelos pais, para que não confundam a mesma. A escola pode ser uma parceira neste processo, você deve dizer ao professor sobre o processo, a fim de agirem em conjunto.

O momento mais temido, o dia de jogar fora a chupeta, aproveite datas comemorativas (Páscoa, Natal, Aniversário) para sugerir que seu filho dê a chupeta de presente para o Papai Noel, coelho da Páscoa ou em alguma loja em troca de presente. Além disso, você pode utilizar da fantasia como a Fada do Dente, o Duende, um super-herói, uma princesa, um animal ou outros (as) para a criança deixar a chupeta para ele(a). Neste momento é importante que a criança realmente entregue ou deixe a chupeta em algum lugar para que a mesma seja recolhida, é recomendado que os pais realmente joguem o objeto fora quando esse acerto acontecer para que não caiam na tentação de voltar atrás.

Vale lembrar, que é normal que a criança sinta falta da chupeta e chore pela mesma por alguns dias, não volte atrás, seja persistente. É aconselhável que o adulto mantenha a calma e mostre mais carinho e afeto para acalmar a criança, criando novas formas de tranquilizá-la, seja uma massagem, uma canção de ninar, uma história e/ou outros.

Sabendo que as crianças nesta idade adoram histórias, existem livros ilustrados que pode ser lidos para elas. Boa sorte e sucesso!

Sugestão de livros:
• O Balde Das Chupetas – Bia Hetzel – Manati
• Tchau Chupeta - Edgard Scandurra – Leya Brasil
• Adeus Chupeta! Brigitte Weninger,– Ambar
• Minha Chupeta Virou Estrela - Tati Móes – Leya Brasil
• Adeus Chupeta – Mercè Seix – Ciranda Cultural

Fernanda Ribeiro Paiva Mascarenhas
Psicopedagoga da Escola Criativa Idade