TANV – Transtorno de aprendizagem não verbal

Ainda pouco conhecido, o TANV é um tipo específico de Transtorno de Aprendizagem Não-Verbal que afeta a criança desde o seu nascimento, e acarreta déficits nos domínios cognitivo, social, emocional, psicomotor, espacial, tátil e visual, impactando significativamente a aprendizagem. Crianças com TANV apresentam capacidade intelectual dentro ou acima da média, boa memória, e bom relacionamento com pessoas adultas, mas apesar dessas habilidades, devido aos déficits nas áreas acima citadas, terão prejuízos diversos. Vale ressaltar que os estudos sobre o TANV só tiveram inicio na década de 80, por isso, muitas vezes o diagnostico é realizado tardiamente. Alguns dos sintomas apresentados neste transtorno são muito parecidos com o de crianças com autismo ou síndrome de Asperger, devido aos déficits nas habilidades sociais.

Do ponto de vista pedagógico, crianças com este transtorno apresentam prejuízo na compreensão e interpretação de texto (as habilidades de decodificação da leitura e memória verbal encontram-se preservadas). Nos conceitos matemáticos e na resolução de problemas há prejuízo, e embora os conceitos concretos, objetivos e simples sejam facilmente entendidos, quando há necessidade de análise e integração mais complexa, o entendimento fica comprometido.

As dificuldades mais expressivas são observadas nas seguintes áreas:

- Viso-espacial: Dificuldade em distinguir diferenças entre formas, tamanhos, quantidades e comprimentos, com dificuldade também em calcular distâncias;

- Motricidade: Prejuízo na coordenação motora fina (escrever, desenhar, recortar, amarrar os sapatos, dentre outras), e equilíbrio (andar de bicicleta, praticar esportes). Crianças com TANV costumam ser desajeitadas e deixam objetos cair com frequência.

- Linguagem: Dificuldade em compreender a linguagem corporal e expressões faciais. Fala repetitiva e descontextualizada, com entonação e modulação do volume pobre.

- Orientação espacial e percepção: Como há dificuldade em assimilar a orientação espacial, apresenta prejuízo nos trabalhos com mapas e quebra-cabeça. Na matemática há troca dos símbolos das operações e a grafia e organização com as atividades são criticadas.

- Interação social: Poucos amigos devido à interpretação literal de eventos e inabilidade em perceber pistas não verbais, que são relevantes nas interações sociais. É importante ressaltar que a resistência na mudança de rotina os torna menos flexíveis para lidar com as constantes modificações impostas pelo ambiente social.

- Aprendizagem escolar: Dificuldade na matemática, educação física e educação artística. Dificuldade também para entender as aulas, textos ou enunciados de questões.

A intervenção no processo de aprendizagem da criança com TANV exige a parceria entre família, escola e especialistas. O Psicopedagogo é o facilitador neste processo, reconhecendo as capacidades e habilidades, e desenvolvendo estratégias que facilitem a aprendizagem. É importante ressaltar a importância do trabalho com métodos tradicionais, enfatizando as habilidades de memorização verbal, devido aos déficits nos processos intuitivos, excluindo as abordagens Construtivistas e Sócio-Construtivistas. A intervenção deverá englobar os aspectos psicopedagógicos, fonoaudiológicos e psicológicos.

A avaliação de uma criança com TANV deve ser realizada por equipe multidisciplinar, a partir dos instrumentos neuropsicológicos que compreendem os domínios da inteligência, desempenho escolar, habilidades sensório-motoras, processamento viso-espacial, matemática e funcionamento psicossocial.

Celeste Chicarelli – O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Pedagoga – Especialista em Psicopedagogia/Neuroeducação/Neuropsicologia
Screener da Síndrome de Irlen
Tutor Cogmed – Treino Cognitivo