Teste da Orelhinha

A Lei nº 12.303, de 2 de agosto de 2010, torna obrigatória e gratuita a realização do exame chamado Emissões Otoacústicas Evocadas, mais conhecido como Teste da Orelhinha.

A deficiência auditiva é uma patologia muito comum entre os recém-nascidos, sendo encontrado de um a três casos de surdez a cada 1.000 nascimentos.

O “teste da orelhinha” ou Triagem Auditiva Neonatal é um exame importante para avaliar a audição do recém-nascido.

Com a sua realização, é possível identificar se há problemas na audição e permite iniciar o diagnóstico e o tratamento das alterações auditivas precocemente.

O teste da orelhinha é rápido, indolor e não tem contraindicação, e consiste na colocação de um fone na orelha do bebê acoplado a um aparelho de emissões otoacústicas que emite sons e recolhe as respostas que a cóclea do bebê produz.

Quando detectado algum problema, o bebê é encaminhado para a avaliação otorrinolaringológica e exames complementares.

Uma vez confirmado o diagnóstico de perda auditiva o bebê deve ser encaminhado para intervenção precoce que poderá compreender de: orientação familiar, uso de aparelhos de amplificação (aparelho auditivo ou implante coclear) e terapia fonoaudiológica.

Quanto mais cedo for detectada a deficiência auditiva, mais precocemente serão as intervenções realizadas, permitindo ao bebê um diagnóstico e intervenção fonoaudiológica até os seis meses de idade, o que favorece o desenvolvimento de linguagem e fala.

O fonoaudiólogo tem papel fundamental em todo processo de diagnóstico e reabilitação das perdas auditivas.
Às mamães: não deixem de agendar o teste da orelhinha do seu bebê!

Referência: Conselho Federal de Fonoaudiologia

Silmara de Abreu Melgaço
Fonoaudióloga da Equipe Mame Bem
CRFa 6-7517