Vacina de Tpa

Tríplice bacteriana acelular (difteria, tétano e coqueluche)

A maioria dos casos de coqueluche ocorrem em crianças susceptíveis menores de 3 meses de idade. A vacinação contra a coqueluche é segura e indicada durante 27-36 semanas de gestação e protege a mulher e seu recém-nascido.

A maioria dos recém-nascidos que contraem a coqueluche adquire a doença de membros da família, incluindo suas mães. A vacinação contra a coqueluche em membros da família e outros cuidadores de recém-nascidos é uma estratégia fundamental de proporcionar proteção neste período vulnerável. Se eles receberam a vacina dTpa com mais de 10 anos, deve ser realizada nova vacinação, pelo menos 2 a 3 semanas antes do bebê nascer, para se ter certeza que a imunidade começou a desenvolver. A dTpa é uma vacina que contém a bactéria B. pertusas que foi inativada e proteínas da difteria e tétano. Não há bactérias vivas na vacina e não pode causar coqueluche em uma criança vacinada ou adulto.

A vacina tem poucos efeitos colaterais podendo ter dor ou vermelhidão no local de aplicação. Raramente inflamação nos vasos onde foi realizada a injeção pode ocorrer.

A imunização materna contra a coqueluche durante a gravidez permite a passagem transplacentária de anticorpos maternos para o feto, fornecendo cobertura neonatal até que a série de vacinas na infância contra a coqueluche possa começar. Estes anticorpos específicos conferem proteção e modificam a gravidade da coqueluche em lactentes.

O nível de anticorpos após a vacinação dTpa possui pico depois de várias semanas, seguido por um declínio ao longo de vários meses. A vacinação é sugerida durante o terceiro trimestre, de preferência durante as semanas 27 a 36, quando o transporte ativo de anticorpos se torna mais eficiente. A vacinação no final do terceiro trimestre tem que ter intervalo mínimo de 2 semanas para montar uma resposta de anticorpos adequada. Além disso, devido à diminuição dos níveis de anticorpos maternos após a gravidez, a revacinação com dTpa para o benefício neonatal é recomendado a cada gravidez, independente das vacinações anteriores, com o objetivo de promover a máxima proteção para o recém-nascido.

Assim, está indicada a realização da vacina dTpa a partir de 27 semanas de gestação. Cuide-se. Proteja-se. Sinta-se segura.

Um grande abraço,
Equipe Pnar
Dra. Cassiana Maria Valga Bastos Campos – CRM/MG 33352
Dr. Maurílio Trigueiro – CRM/MG 37004