Pré-Natal Psicológico

Por mais planejada que tenha sido a sua gravidez, muitas vezes as alterações hormonais, a pressão, os medos e dúvidas podem provocar uma grande ansiedade na grávida. Embora o cuidado com o seu corpo seja fundamental nestes nove meses não se esqueça da sua mente.

Hoje abordaremos um tema muito comum! Talvez o mais comum entre as grávidas.

Medo do Parto
Um dos medos mais comuns é o que temos perante o desconhecido. Não existe nada mais desconhecido para as mulheres que vão ser mães pela primeira vez do que o momento do parto. Além disso, tudo que se sabe, muitas vezes, são histórias contadas por sua mãe e terceiros que formaram uma ideia na sua cabeça.

Obter toda a informação sobre o que se vai passar no parto é a ferramenta essencial para combater o medo. A tranquilidade nesse momento ajudará a quebrar o círculo vicioso da ansiedade - dor - maior ansiedade.

Então vamos falar disso um pouco mais para entender como isso é possível.

Sentir medo é algo natural ao ser humano, uma ferramenta que cumpre um papel essencial na sobrevivência, já que graças ao medo reagimos perante um sinal de perigo. O problema surge quando se trata de um possível perigo imaginário. Ou seja, sentir medo de uma situação que por hora está apenas na nossa imaginação. Tanto o medo real como o imaginário é capaz de provocar alterações fisiológicas importantes, como aumento do metabolismo celular, a pressão arterial e o ritmo cardíaco. Afinal o corpo está se preparando para reagir frente a uma situação de perigo. Um destes medos, mais ou menos imaginário (já que em principio ao dar à luz uma mulher não está em perigo), é o medo do parto.

No caso das mulheres que vão ser mães pela primeira vez, o medo é normal, pois é algo que nunca experimentaram pessoalmente, embora tenham informação sobre ele. Além disso, surgem fantasias como medo da morte e da dor. Principalmente porque as ideias sobre o parto são formadas a partir de filmes (um exagero só!), e do que se ouve da mãe, das amigas e familiares. Pode reparar que é só contar que está gravida que todo mundo tem uma história pra te contar, e as ideias continuam a se formar. E você acaba por “aprender” esse medo!

É esse medo que faz com que, no momento do parto, se sinta mais dor do que aquela que realmente poderia ser. Então forma-se um ciclo vicioso composto pelo medo, a tensão gerada e a dor, o que volta a aumentar o medo ao ter-se a percepção de que, realmente, tudo é como me falaram.

Então o que fazer?
• É por isso que é muito importante que as mulheres grávidas estejam corretamente informadas sobre o parto e possam “desaprenderem” esse medo. Se, contudo, evitar o medo é algo impossível (já que medo é algo que se tem ou não se tem), podemos controlá-lo para que seus efeitos sobre o corpo não interfiram no desenvolvimento normal do parto.

• É importante não ficar presa às informações populares, e procurar respostas de profissionais preparados para tal. Procure saber mais sobre tudo, o que acontece, como, quando ou como combater a dor, e tirar todas as dúvidas que aparecerem no caminho.

• Lembre-se que cada pessoa é uma e cada parto é um. Não generalize, isto é, o que aconteceu com a outra não necessariamente acontecerá a você. Principalmente porque já começou seu processo de conscientização ao ler este artigo ou algum outro buscando novas informações. Isto quer dizer que você tem condições de mudar sua trajetória rompendo este ciclo vicioso.

• Um profissional de psicologia pode te ajudar a canalizar e organizar todas as dúvidas e sentimentos. Procure um especializado na área.
Desejo a todas um bom parto! Mais consciente mais humanizado!

Edianez Almeida Chueiri
Psicóloga – CRP 04/257501