Candidíase Mamária: você já ouviu falar?

A candidíase mamária é a infecção das mamas pela Candida albicans, um fungo comensal encontrado frequentemente na vagina e no trato gastrointestinal de seres humanos, tem sido responsabilizada por infecção superficial e localizada das mamas em mulheres lactantes, apresentando fissuras e dor, sendo característica da infecção pela levedura e podendo ser a principal causa de abandono prematuro da lactação.

As mães que estão amamentando e apresentam a candidíase nas mamas referem ardor, queimação intensa e persistente nos mamilos, mesmo nos intervalos das mamadas. Uma das queixas mais comuns é a “dor em fisgada”. Podem aparecer pontinhos brancos na boca do bebê. Mãe e bebê devem ser tratados simultaneamente, mesmo que a criança não apresente sinais evidentes de candidíase. O tratamento deve ser indicado por seu médico de confiança.

A infecção pode atingir só a pele do mamilo e da aréola ou comprometer os ductos lactíferos. São fatores predisponentes a umidade e lesão dos mamilos e uso, pela mulher, de antibióticos, contraceptivos orais e esteroides. Portanto, o uso de absorventes de seios, conchas de amamentação e quaisquer outros recursos que mantenham a região das mamas úmida favoreceram a proliferação do fungo. O ideal é que a lactente mantenha as mamas sempre secas.

As chupetas e bicos de mamadeira são fontes importantes de reinfecção, por isso, devem ser evitados!

Em casos de candidíase mamária não suspenda a amamentação! O tratamento da mãe e do bebê será realizado por um médico de confiança! Para o manejo das mamas, organização da rotina de amamentação e informação sobre os recursos indicados ou não nesses casos, procure um Consultor de Amamentação!

Dra. Tatiana Vargas de Castro Perilo
Fonoaudióloga e Consultora de Amamentação
Diretora da Empresa MAME BEM Treinamento e Assistência em Saúde