Abordagem Pikler

 

A escola tem grande importância no desenvolvimento das crianças. Cuidar dos espaços e escolher os materiais é fundamental para gerar aprendizagens. Ambientes acolhedores, tranquilos, desafiadores que vão possibilitar o desenvolvimento da coordenação motora, da percepção tátil, visual e auditiva.

Para planejar esses ambientes leva-se em conta muitos aspectos e critérios que são inspirados em Maria Montessori, Reggio Emilia e Emmi Pikler.

"Devemos ser conscientes da importância que reveste a educação de bebês e crianças pequenas, da influência que esta educação terá sobre toda sua vida." Emmi Pikler

Vamos focar, então, na abordagem Pikler.

Emmi Pikler, pediatra húngara (1902 - 1984), teve sua prática baseada em um conjunto de premissas no cuidado com crianças baseado nos princípios básicos do desenvolvimento sadio que são: segurança afetiva, ambiente previsível e movimento livre. Sua prática envolve cuidados corporais, motricidade livre, autonomia, vínculo com o adulto, interação entre os bebês, rotina, espaço, materiais para brincar e observação. A criança é um sujeito capaz que precisa de segurança e vínculo. O toque, a fala, o cuidado diário são essenciais para que ela sinta-se segura e conquiste sua autonomia.

O bebê percebe o mundo primeiro pelo corpo. É no corpo que precisa ter a segurança da mão do cuidador para sentir-se amada e amparada. É preciso um vínculo e um ambiente que ele possa movimentar-se livremente, rodar, arrastar, engatinhar, preparar a musculatura do corpo para mais tarde sentar, ficar de pé e andar.

O movimento é importante. Ele nos faz ir de um lugar para outro e nos faz evoluir e transformar. A criança deve conquistar, ela mesma, seus movimentos. Ao adulto, cabe preparar um ambiente seguro e adequado para exploração livre. A liberdade de movimento permite que ela explore, investigue, faça inúmeras descobertas sobre o seu corpo, supere obstáculos para realizar as suas próprias possibilidades. Aos poucos, irá conseguir mais destreza e força com seu corpo. Toda conquista realizada pelo bebê é registrada emocionalmente, dando-lhe confiança e autoestima. Nada pode ser adiantado, e o papel do adulto é fundamental para a criança descobrir o mundo por si mesma.

As crianças são motivadas, por natureza, a pesquisar, a descobrir e aprender. O essencial é oferecer vivências, tanto educacional quanto sociais, promovendo um olhar sensível na maneira como vemos e atuamos com elas.

É necessário criar um ambiente educacional ativo, inventivo; um lugar de investigação e reflexão, que seja agradável para educadores, crianças e família. E que esse ambiente intensifique as relações entre todos. 

A base da aprendizagem é a emoção. E emoção, aprendizagem e criatividade andam juntas!

Vanda A. Costa
Psicóloga e Sócia proprietária da Escola Galileo Galilei