A importância dos primeiros 1000 dias de vida para a saúde da criança

Os primeiros 1000 dias de vida de uma criança se iniciam desde a sua concepção e gestação (9 meses = 270 dias) somados aos dois primeiros anos (270 +365 +365 = 1000 dias!). Esse tempo corresponde ao período no qual intervenções que garantam nutrição adequada e desenvolvimento neuro-cognitivo trarão benefícios à saúde perceptíveis em todo o ciclo de vida do indivíduo.
Nos seus dois primeiros anos a criança tem a oportunidade de crescer acima da média e se tornar um adulto saudável se, além da alimentação correta, receber estímulos adequados, imunização e boa assistência à saúde. Nessa fase os órgãos ainda se encontram em formação: os ossos estão se alongando, os músculos se fortalecendo e o cérebro ganhando volume (atingirá 70% de seu tamanho final no segundo ano). Atualmente sabe-se que a falta de estímulos adequados para bebês e crianças na primeira infância pode acarretar impactos neurológicos permanentes.

Os estudos científicos mais recentes sobre saúde infantil concluíram que as condições nutricionais desde a concepção até o segundo ano de vida influenciam a saúde dessa criança pela vida toda. Tanto a hipernutrição quanto a subnutrição podem atuar no desencadeamento da manifestação de doenças. A introdução alimentar antes dos seis meses de vida, por exemplo, pode causar aumento do acúmulo de gordura corporal pois altera os mecanismos de regulação hormonal.

Com base nesses conceitos sabemos hoje que o estado nutricional da mãe durante a concepção poderá atuar como um mecanismo de programação do desenvolvimento fetal. Por isso a contribuição de um pediatra para a saúde infantil inicia-se ainda no período gestacional, na ocasião da consulta pré-natal, quando se verifica a condição nutricional materna e a indicação da suplementação de micronutrientes.

Já no período neonatal imediato, o pediatra atua dando suporte ao aleitamento materno exclusivo e indicando o uso de vitaminas e a vacinação adequada para o recém-nascido.

À medida que o bebê se desenvolve e chega aos seis meses de vida a introdução alimentar precisa ser realizada de forma adequada, sob supervisão pediátrica e, além disso, cuidados específicos de higiene e proteção precisam ser instituídos para garantir o desenvolvimento integral da criança.

O estimulo neural nessa fase, chamada de desenvolvimento sensório-motor,compreende tanto atividades ligadas aos cinco sentidos (audição, olfato, paladar, visão,tato) quanto atividades motoras tais como rolar, tentar alcançar objetos distantes e engatinhar. Face à condição de dependência absoluta de cuidados de um adulto nesses dois primeiros anos, é fundamental que o bebê tenha um ambiente propício e acolhedor, seja através do contato pele a pele, de toques e massagens e da demonstração de sentimentos por palavras. Tudo isso é necessário para desenvolver laços fortes de afeto com seus cuidadores, lançando as bases para um desenvolvimento pleno e saudável.

A importância de se estabelecer um bom vínculo com um pediatra visa garantir a orientação correta quanto aos primeiros 1000 dias da criança, no estabelecimento de hábitos saudáveis de nutrição, de atividade física e de desenvolvimento cognitivo e emocional, além do fortalecimento dos vínculos familiares. Ao criarmos a consciência de que somos capazes de atuar sobre os fatores desencadeadores de doenças que irão comprometer a longevidade,cuidaremos melhor da saúde de nossas crianças!

Dra. Fernanda Ribeiro
Médica Pediatra – CRM 52581/ RQE 31097